Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

A Conjura - Irving Wallace

GOPR1869.JPG

 

     Este livro na verdade não se chama "A Conjura", mas possivelmente "A Conjectura" ou "O Complô", qualquer coisa assim ("The Plot" no original). É verdade, li o livro em português do Brasil. É, possivelmente o maior livro que já li e foi e foi em português do Brasil. No geral não foi algo que incomodasse muito mas volta e meia aparece com cada coisa. Por exemplo, sabiam que os brasileiros dizem e escrevem "caminhões" em vez de "camiões"? Há coisas que não cabem na cabeça de ninguém. A verdade é que foi o primeiro livro que li deste autor e logo se tornou um favorito.

     Como já disse, é bem grande, mas não é de modo algum maçante ou secante. Na verdade se o livro tivesse menos que as mais de 750 páginas - com letra bem pequena -  provavelmente seria uma confusão e, apesar de eu ter conseguido viver sem grande parte das descrições das cidades onde a história se passa, a prosa neste livro nunca se tornou um problema, bem pelo contrário. A história está sempre a andar para a frente, sempre ridiculamente focada nas personagens, entrelaçando-as e saltando de uma para outra, mas antes desse entrelaçamento há duzentas páginas - o primeiro capítulo - divididas em quatro partes, onde é apresentado individualmente cada um dos quatro protagonistas e as suas vidas, especialmente através de flashbacks que conseguem não ser repetitivos e mantiveram sempre o meu interesse. O primeiro capítulo acaba por levar cada um dos protagonistas ao mesmo sítio: Paris.

     Em Paris vai decorrer uma conferência entre a China, os EUA, a União Soviética, Inglaterra e França onde se tenta estabelecer um acordo com vista ao desarmamento nuclear (o livro passa-se, presumo, no pós guerra fria). Todas as personagens principais têm algo a tratar com alguém que participa activa ou passivamente na conferência e o autor entrelaça-as de uma forma genial, alternando a personagem que estamos a acompanhar e deixando-nos sempre com algo "suspenso" antes de passar para outra.

     Estamos constantemente com um sentimento de "raios partam, quero ler para saber o que vem a seguir". A sério: "A Conjura" de Irving Wallace é um dos melhores livro que li até hoje e na próxima vez que vir algo deste autor não vou hesitar. Recomendadíssmo.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogues

Youtube

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mensagens