Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

José Saramago - Ensaio Sobre a Lucidez

100_4054.JPG

  Como se pode ver pela imagem acima, a capa mostra apenas o nome do autor, a editora, o título da obra e o género literário a que pertence. Na contra-capa lê-se "Uivemos, disse o cão. - Livro das vozes". Estará lá só para encher chouriços, só para ocupar espaço? Às tantas há mesmo um cão no livro, que a certa altura, por alguma razão, há de começar a uivar. Pois bem, esse cão é o mesmo que foi lamber as lágrimas da cara da mulher do médico em Ensaio Sobre a Cegueira. A cidade também é a mesma. Já as circustâncias são completamente diferentes não sendo necessário ler um para ler o outro.

  O livro tem uma forte componente política. Há uma capital que deixa de o ser, tendo o governo e a polícia saido de lá. Há jogos políticos, há gente precipitada, há más decisões. Há censura, controlo dos meios de comunicação. Há a cidade que até há pouco tinha sido a capital de um país e que de repente deixou de o seu, vendo-se rodeada de altas muralhas num declarado estado de sítio. Há as pessoas residentes da cidade que continuam a viver as suas vidas como se pouco ou nada estivesse a acontecer.

  Mesmo nos livros mais políticos de Saramago, não são tanto as suas idéias, chame-mos-lhe a sua "engenharia social" o que mais me impressiona, mas sim a sua cuidadosa escolha de palavras e, acima de tudo, a sua sensibilidade e ironia. Com isso temos as descrições dos ambientes e as várias personagens com as suas histórias, objectos, receios e vidas. Há pessoas que simplesmente querem viver como sempre o fizeram, outras que tentam descobrir verdades e mentiras, e ainda aquelas que são hipócritas e mentirosas. Aproveito para dizer: tomem atenção ao presidente da câmara - não é que seja umas das mais importantes personagens, na verdade a sua parte nem é muito extensa, mas é uma das mais belas e concerteza deixará muitos talvez até com uma lágrima no canto do olho.

  Falei do cão da contracapa, mas não falei da lucidez da capa. Clareza, perceptibilidade e transparência são alguns dos sinónimos que se podem arranjar, mas ainda assim o título não diz grande coisa. Lucidez em relação a quê? Leiam e descubram. Certamente não se arrependerão.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogues

Youtube

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mensagens