Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

O fim da internet como a conhecemos?

blogar13.jpg

  Pesquisando qualquer coisa no google, por cima dos resultados, uma das opções que temos é “notícias”. Ou seja, podemos pesquisar um qualquer termo, como um nome de alguém famoso, e redirecionar a pesquisa por “notícias” para saber as trapalhadas em que essa pessoa tem vindo a envolver-se nos últimos tempos.

 

  Não em Espanha. Em 2015 a google retirou esse serviço a quem esteja a aceder ao site nesse país. Mas porquê? Porque houve uma tal de “Asociación de Editores de Diarios Españoles” que decidiu criar e associar custos à partilha de links que proviessem da imprensa Espanha. Pois bem, como é óbvio, a google enquanto empresa não iria estar com trapalhadas. A pesquisa de notícias disponível num sem número de países e línguas, deixou de existir em Espanha, porque criar taxas para partilha de links…enfim, não há empresa que se queira meter nisso. Para quê pagar por algo que não vai fazer dinheiro diretamente? Mais vale cortar tudo e pronto, bem menos problemas dessa forma. E o que aconteceu depois? Não sei bem nem me apetece fazer essa pesquisa para este post que já vai ser bem grande, mas a google anda com malabarismos aqui e ali, e a imprensa Espanhola online perdeu grande parte do tráfego online, porque afinal é através dos motores de pesquisa que as pessoas lá vão parar.

  Desde a sua concepção que a internet tem vindo a ser reformulada a todos os níveis, incluindo o legal, e para exemplo recente e elucidativo disso basta retornarmos à google, uma das maiores e mais importantes empresas online. Já alguém reparou que dantes ao pesquisar imagens no google, bastava clicar-se na imagem para ter acesso a ela e agora já não?

 

  Recentemente anda muito em voga um tal artigo 13, que poderá ser aplicado na EU podendo alterar e muito os conteúdos aos quais temos acesso. Mas o artigo 13 não existe sozinho, e um dos companheiros é o artigo 11 que, adivinhem, coloca taxas pela partilha de links de notícias. Como aconteceu em Espanha… Escusado será dizer que poderá ter um impacto bastante grande até aqui nos blogs do sapo.

 

  O artigo 13 faz parte de uma diretiva de legislação (é assim que se diz?) da união europeia cujo objetivo é proteger direitos de autor, principalmente da indústria cinematográfica e musical que são quem tem os maiores lobbies – digo eu que de política pouco percebo e de legalidades ainda menos. O próprio youtube parece andar a espalhar a mensagem para que muitos dos utilizadores do site falem sobre o assunto. E é curioso que seja a própria empresa a tomar aqui as rédeas. Até há alguns dias atrás nunca eu tinha ouvido falar disto, mas se as implicações forem tão negras quanto eles as fazem parecer, os conteúdos aos quais temos acesso na internet podem mudar e muito. Qualquer dia nem se tem acesso a pornografia, imagem lá...

 

  Atualmente se alguém na internet, aqui nos blogs por exemplo, usar material que não lhes pertence, essa pessoa pode ser processada, ou algo assim. Com o artigo 13 será não a pessoa, mas o próprio sapo a ser processado. E pelos vistos aplica-se a TUDO, deixando de existir o que hoje se chama "fair use" (vídeo no fim para mais informações). O youtube é uma plataforma onde milhares de horas de vídeo são colocados todos os dias e eles não têm forma de controlar isso. Afinal é uma plataforma razoavelmente livre. No entanto, sendo este malfadado artigo aprovado, a própria empresa é responsável por todas essas horas de vídeo. Só alguém que não saiba como funciona o youtube ou a internet pode dizer algo assim. Não há como eles fazerem esse controlo ao nível a que é exigido. “Algoritmos e bots” como lhes chamam são muito fáceis de enganar. “Aqui está este vídeo que tem direitos de autor, viramos a imagem 180 graus e já não é detetado. Tcharam!”. O resultado disto será que estes sites, não tendo como controlar o que utilizadores lá metem, vão simplesmente cortar tudo. Tudo. (ou praticamente).

 

  Como a google fez com a sua secção de notícias em Espanha. E a parte do artigo 11 em que os provedores de notícias devem ser compensados pela partilha dos seus trabalhos? Ya. Se partilharem notícias e links aqui, serão as próprias pessoas do sapo, que nos permitem usar esta plataforma, que irão pagar por isso.

 

  De direito nada percebo, e muito menos sei dizer como isto vai afetar a internet no geral, ou sequer o vão verdade é o que estou aqui a dizer. Mas mesmo que estas coisas não sejam agora aprovadas, pode ser que esteja perto, seja inevitável e apenas uma questão de tempo. Por agora é só na Europa, mas certamente se espalhará. O que aqui digo foi apenas tirado de alguns vídeos tolos e notícias que pintam uma imagem quase apocalíptica, mas certo é que tendo em consideração a pouca informação que vi não parece tão rebuscado quanto isso. Há muito países por esse mundo fora dos quais o pouco que sabemos é que não têm acesso a grande parte da internet, como acontece na Coreia (outra verdade que não sei se o é). Aqui simplesmente não será o governo, mas as próprias empresas que se verão obrigadas a isso para se protegerem a elas mesmas.

 

  Para nós, utilizadores de redes sociais, facebooks, twitters, dos mais variados fóruns, dos blogs do sapo, do youtube, plataforma da qual eu confesso ser grande consumidor, podemo-nos ver privados da gigantesca maioria do conteúdo ao qual temos agora acesso, privados de partilhar seja o que for, incluindo coisas que não estejam protegidas por direitos de autor, porque para o facebook e afins não vale a pena correr o risco.

 

  Há por aí umas quantas petições e coisas do género. Há uma hashtag #saveyourinternet e tudo. E diabos me levem se algum dia não vou perceber o que raio são estas coisas começadas pelo símbolo ao qual se dava o nome de número cardinal. Se alguém me souber explicar agradeço. Adiante. Procurem a petição se estiverem para aí virados, ou apenas informação se quiserem, mas parece-me importante falar-se disto. Se tiver paciência sou capaz de ler grande parte desta nova diretiva da UE, na qual certamente já umas quantas pessoas andam a trabalhar há anos porque estas coisas não aparecem do nada, para ver se consigo compreender alguma coisa daquilo. Para olhos não habituados a legalidades como os meus parece sempre ser necessária uma licenciatura em direito para descortinar o que quer que seja da linguagem estranha na qual costumam estar escritas. Pode até ser bastante simples, não sei. Veremos.

 

  Veremos também o que será da internet, quiçá até aqui dos blogs, pois isto parece ser abrangente como tudo, nos próximos anos. Fica um dos muitos videos sobre o assunto:

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogues

Youtube

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Mensagens