Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

Sobre escrever um post acerca da importância da leitura

  Já foi há alguns meses atrás que tive a intenção de fazer um post acerca da importância de ler, ou de possíveis benefícios que a leitura possa trazer. É um assunto que já foi tratado por quase todos os que têm alguma plataforma onde partilhem informação – como é o caso aqui dos blogues – e que vão lendo algo aqui e ali. Por vezes aparece de uma forma que tenta ser objetiva/científica, por vezes subjetiva/pessoal, onde se vão incluindo gostos e preferências, por vezes até social.

 

  A minha ideia era escrever algo um pouco para o pseudo-intelectualóide pegando em casos particulares de livros ou histórias. Algo como “Estão a ver estas raparigas que protagonizam alguns dos filmes da Disney? Elas leem livros…e acabaram a casar com príncipes, portanto…aí está! Benefícios da leitura!”. A verdade é que não encontrei um ângulo de jeito e como sou preguiçoso depressa desisti da ideia. No entanto encontrei um vídeo no youtube que faz mais ou menos o que eu queria fazer, e cujo link está guardado no browser há meses sem saber o que fazer com ele.

 

  Pesquisando rapidamente há várias coisas que sempre aparecem, muitas delas tolas. A mais importante, mais séria, e aos meus olhos de leigo ignorante mais acertada, é ajudar a prevenir e combater variadas doenças mentais, desde depressão a alzheimer. No entanto, não me parece que a leitura seja mais eficaz nisso que qualquer outra atividade na qual haja necessidade de concentração, seja ela costura, ver filmes, cavar terra, malabarismo ou desporto, desde que sejam feitas regularmente e com disciplina. Parece-me que tudo aquilo que envolva concentração e disciplina faz esse trabalho tão bem quanto a leitura. Mas provavelmente a mais comum, e que é bastante tola, é a ideia de que ficamos mais inteligentes ao ler. Para além disso é dada uma certa aura à leitura que não me agrada nada. É verdade que o vocabulário pode ir aos poucos aumentando, tal como a cultura geral, sendo também verdade que se vai treinando a memória. Tirando o vocabulário, que há-de ser a mais diretamente afetada aqui, se bem que também há outras formas de o ir melhorando, há várias outras maneiras de “treinar” tudo o resto. No entanto, objetiva e diretamente mais inteligentes, tendo em conta a complexidade do conceito psicológico de inteligência? Não me parece. Acho é que é possível ficar-se menos inteligente se não se fizer absolutamente nada, se os dias se ficarem por idas ao café e pela televisão sem ao menos se prestar atenção a uma ou à outra coisa, à medida que se vai vivendo nas redes sociais e em sites tolos onde a única coisa que se faz é “scroll down” à espera que algo nos chame a atenção, e tudo isto regado com álcool e/ou drogas. Afinal nada como ter uma atividade – seja ela qual for – à qual nos dediquemos. E ainda assim com o que está acima há-de ser pouco inteligente da minha parte dizer que se fica menos inteligente.

 

  Mas enfim, desde as ideias que aqui pus, passando por inspiração ao ler acerca de (ou as palavras de) pessoas de alguma forma importantes e influentes, até à atratividade perante o sexo oposto. A tudo isto e mais ainda queria eu fugir quando na minha cabeça um dia surgiu esse “tenho que fazer um post sobre leitura!”.

 

  Foi então já há algum tempo que encontrei o vídeo que aqui partilho, que infelizmente não está legendado para quem não saiba inglês – e quem gostar pode dar uma vista de olhos pelo canal visto ter umas quantas coisas interessantes. Não é propriamente o post que eu queria fazer, pois faz desde logo a distinção entre ficção e não ficção, dizem diretamente que ler nos torna pessoas melhores, e mais umas quantas tolices – mas é aceitável. Ainda estive para copiar a ideia à minha maneira, usando até os dois livros aqui falados, mas a verdade é que não gosto deles o suficiente para tal e afinal... Porquê copiar quando posso, de forma mais honesta, partilhar aqui o vídeo?

 

  Independentemente da minha opinião acerca deles, o 1984 de George Orwell e o Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley são hoje gigantes da literatura. Não tenho problema nenhum com eles em particular e são bem interessantes, no entanto tornaram-se uma espécie de pet peeve por achar que não falta por aí melhor ficção científica que toca nos mesmos assuntos. Apesar disso é sempre da mesma treta dos mesmos dois livros que as pessoas acabam por falar - e que eu estou aqui agora a falar... De alguma forma ganharam um estatuto não só de obras-primas, mas também sinónimos de “cool”. Adiante. Cada um dos livros mostra um mundo onde basicamente não existe arte, seja por imposição num caso, ou por falta de interesse do público no outro, criando sociedades onde existe falta de interesse pelos variados assuntos da vida e um leve contentamento que evita qualquer tipo de revolta por parte do povo, ou sequer vontade de mudança de algum tipo. O vídeo termina com a frase, traduzida às três pancadas, “Se acha que o seu país se está a transformar numa distopia, o seu primeiro acto de resistência deverá sempre ser abrir um livro”. Aqui fica:

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogues

Youtube

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mensagens