Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

Sofá Branco

"Esta é sem dúvida a era das novas invenções para matar corpos e salvar almas, todas divulgadas com a melhor das intenções." - Byron

Star Wars: O Despertar da Força (The Force Awakens) (2015) - J.J.Abrams

star-wars-force-awakens-official-poster.jpg  Quando ouvi que iam fazer um novo Star Wars torci o nariz. Afinal a história já estava terminada, tendo os rebeldes destruído o império galáctico e formado novamente a república no episódio 6, e, como tal, ignorei este novo filme por completo. Certo dia ouço de um conhecido meu, que o viu, as seguintes palavras: "Eh...eu não ser daquelas pessoas que diz que o que é antigo é que era, mas sim, prefiro bem mais os filmes velhos". Sendo esta pessoa alguém de gostos relativamente pretensiosos devo dizer que fiquei bastante intrigado pois, em circunstâncias normais, fosse o filme apenas de uma qualidade ligeiramente inferior à dos antigos, ele teria apenas dito "o filme é uma m**da! não percas tempo com isso!". Posto isto, o "Despertar da Força" tinha, obrigatoriamente, de ser um bom filme e de fazer jus à trilogia original.

  Lá vi o filme. Surpreendeu-me bastante. Por alguma razão as equipas que fizeram a segunda trilogia, que serve de prequela à primeira, falharam redondamente em fazer filmes que os fãs dissessem estar à altura dos originais. Não sei, demasiado romance, demasiadas imagens feitas em computador (especialmente o episódio 3 que em muitas parte quase parece desenhos animados), demasiada palha no geral. Comparando com o mais famoso episódio 5, "O império contra-ataca", em que as personagens estão constantemente em situações de perigo e a acção é quase non-stop, percebe-se o porquê de eu não ter grandes expectativas em relação ao novo filme.

  Felizmente estava enganado. O Despertar da Força capta grande parte da magia da trilogia original. O filme passa-se décadas depois do sexto episódio e, trazendo algumas personagens antigas, introduz bastantes. Se há coisa que, por vezes, me irrita bastante, é uma grande separação entre bem e mal; se bem que esta é bastante óbvia nos Star Wars, as novas personagens parecem-me ser mais complexas - pelo menos nesse sentido - tendo motivações e morais confusas. O uso de CGI não é excessivo nem de mau gosto, o que era o meu maior medo antes de ver o filme.

 Nem tudo o que acontece entre o sexto filme e este nos é dito e, presumo eu, muita coisa do passado que não foi explicada aparecerá nos episódios seguintes. Vi que Rian Johnson será o realizador do oitavo e isso só me aumenta as expectativas porque de entre os filmes dele que vi (Brick, Brothers Bloom e Looper) não há um ao qual se lhe possa apontar o dedo por ser mau. Enquanto esse não vem fica a recomendação de "O Despertar da Força". Não se vão arrepender.

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogues

Youtube

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mensagens